domingo, 27 de abril de 2008

Salve os novos heróis latinoamericanos...


Pensei em escrever sobre um pouco de história. Sim, quer dizer não, nada de histórias chatas, mas sim, resolvi escrever sobre histórias do futebol, sobre o pouco que conheço desta arte. E resolvi começar falando sobre o campeonato mais importante. Resolvi escrever sobre a Copa Libertadores. O nome do torneio é uma homenagem aos principais líderes da independência das nações da América Latina: Simón Bolívar (VEN), Dom Pedro I (BRA), José de San Martín (ARG), Antonio José de Sucre (ECU) e Bernardo O'Higgins (CHI). Teve inicio em 1960. É a competição mais importante do nosso continente. Libertadores é história. É emoção. Libertadores para quem tem paixão pelo futebol vai além, muito além do que qualquer outra competição. Libertadores é força e sofrimento. É coração acelerado. Libertadores é concentração, prorrogação, pênaltis. É fazer promessas. É pagar promessas. É alegria e é tristeza. Libertadores é a maior das competições entre clubes, juntamente com a Liga dos Campeões da Europa, embora a Taça Libertadores da América se misture mais com a história, do que a rica Liga dos Campeões. Mas é fato que no futebol essas são verdadeiramente as duas únicas competições. Por que de fato todo o resto, todos os outros campeonatos, brasileiro, paulista, carioca, pernambucano, gaúcho, Copa do Brasil e outros tais são por si só apenas etapas que se tem que cumprir antes de se chegar a verdadeira competição. Ganhar estas competições é não mais do que uma dura etapa antes do verdadeiro campeonato. Etapas que se tem que passar antes de se chegar a essência do futebol entre clubes. Antes de se jogar verdadeiramente o melhor dos campeonatos. Libertadores é choro, alegria e regozijo. Copa Libertadores da América. Até o nome da competição reflete o sentimento, a capacidade de resistência e o sofrimento do povo latino americano (tudo junto como sempre deve ser). É a outra face deste continente. Até que o juiz apite o final do jogo. Depois disso volta-se a realidade.

Portanto agora que chegam as oitavas de final, sentemos, oremos, abramos nossas latas, nossos sacos de batatas fritas e torçamos para que nossos heróis saiam vivos e classificados da mais dura das batalhas entre clubes do nosso continente.

4 comentários:

Ulisses disse...

Bom texto. O mundial é o maior título, mas a Libertadores é muito mais emoção, mais raça. Quando se conquista a Libertadores é um sentimento de ter vecido uma das guerras de independência.

Osc@r Luiz disse...

Muito, muito bom mesmo.
Ainda mais com a foto da manchete da Zero Hora mostrando o Grêmio Campeão Mundial, no tempo em que o meu time tinha um time e um técnico. Bons tempos aqueles.
Fiz hoje no meu blog uma indicação para este blog que eu gostei e tenho visitado.
Um abraço e um bom domingo a todos!

Debora Ferreira disse...

Libertadores é mais legaal pqe envolve a rivalidade principalmente entre brasil e argentina...
e eu vou torcer mesmo... mas vou é torcer pros times que eu não gosto se ferrarem ! kkk

Anna Flávia. disse...

Senti arrepios... E um dia, pode anotar, ainda seremos campeões! Err.. falo do Corinthians. =)


Beijos