segunda-feira, 26 de maio de 2008

O Palmeiras e o gás

O Palmeiras foi responsbilizado pelo Tribunal de Justiça Desportiva da Federação Paulista de Futebol (TJD-SP) no episódio do gás lançado no vestiário usado pelo São Paulo, no estádio do Parque Antarctica, durante as semifinais do Campeonato Paulista, dia 20 de abril. O Palmeiras terá que pagar uma multa de R$ 10 mil e perdeu dois mandos de campo para a edição 2009 da competição estadual.

O laudo preliminar aponta que a quantidade de gás liberada no vestiário do São Paulo era grande e só poderia ter sido transportada em um recipiente de grande porte. Isso tornaria impossível que a substância tivesse sido carregada por algum torcedor ou arremessada por alguém que estivesse fora do local.

O advogado Luiz Roberto Castro adotou como principal defesa o fato de não ter sido comprovada a origem do gás. Para isso, apresentou ao TJD-SP um relatório parcial do Instituto de Criminalística apontando que o gás partiu de dentro do vestiário.

"Como uma pessoa pode entrar com meio cilindro de mercúrio em um estádio?", - questionou o advogado palmeirense.E o gás demoraria muito tempo para se espalhar pelo vestiário se fosse jogado de fora."

Castro afirmou ainda, que a segurança no estádio era grande, "com um policial para cada 11 pessoas", e seria impossível alguém ter acesso ao exaustor do vestiário sem ser percebido.

3 comentários:

Anna Flávia disse...

foi considerado culpado e a pena será apenas 2 mandos de campo e 10 mil de multa, é brincadeira.

Dan disse...

Essa história ainda tá muito mal contada!

Thiago Forrest Gump disse...

Muito pouco!