domingo, 6 de julho de 2008

Quanto vale o amor de um jogador por um clube?

Há alguns meses o Roger estava escanteado no Corinthians e sem clube que o quisesse. Aí o Grêmio resolveu jogar na loteria e apostar no jogador, que chegou jurando amor eterno a Porto Alegre e ao tricolor gaúcho.
'Saio a contragosto.' Roger

O Roger valorizou a chance, motivado, parecia outro Roger ou seria o verdadeiro, aquele do início da carreira? Enfim, foram boas assistências, 10 gols em 22 partidas.

'Eu queria ficar no Grêmio...' Roger

Parecia que ia durar, ao menos era assim que a torcida, os dirigentes e os mais crentes queriam acreditar. Porém, por US$ 5 milhões o caso de amor entre Roger e o Grêmio chegou ao fim. E se no Qatar não der certo, nem adianta querer voltar.

'Se for, não volta mais.' Paulo Odone.

Se eu torcesse pelo Grêmio não estaria feliz e nem desejaria sucesso pra ele no novo time, mas sem paixão, entendo que nessas horas o dinheiro fala mais alto, principalmente pra um jogador que não faz muito tempo e quase ficou sem jogar.

'Que o Roger seja feliz' Celso Roth

7 comentários:

Diogo Ferreira disse...

Roger é o jogador que joga quando está afim. Porém, no Qatar eles poderá sofrer represálias caso não jogue bem, como já aconteceu a outros jogadores.

Desejo a ele boa sorte!

www.ConfionoMengao.blogspot.com

Gabriel disse...

não existe mais o amor ao clube...futebol hoje é negócio...para a maioria...salvo raras excessões...raras...de se contar no dedo...futebol é a fortuna de muitos desafortunados brasileiros...e essa realidade temos que aceitar...infelizmente...Roger é um deles..

Lulu on the Sky® disse...

Nunca achei o Roger tão devotado assim à camisa, ele foi é mercenário indo pro outro time.
Big Beijos

Murdock disse...

É, nada que dinheiro não faça nesse país.

SãoPauliNa-RP disse...

kkkkkkkkkkkkkkk
boa pergunta....

esse Roger é um pé no saco
mercenário do kar...

Victor disse...

Pelo histórico do Maradoninha, o Grêmio se deu bem.
Ele sempre começa bem e depois chuta o balde.
Não teve tempo de afundar o tricolor.
O Grêmio entra na briga pelo título.

Diego Mesquita / disse...

O ponto aí não é AMOR AO CLUBE. Não sejamos hipócritas. Qualquer um, por mais que TORÇA pelo time que está jogando, ao receber o que ele vai recebr lá... não hesitaria. E não é porque ele tá velho ou aqui não tem mais tanto mercado. Ele (ou qualquer outro) iria com 20 ou qualquer que fosse a idade.

A questão me parece muito simples.
Em suma: será uma grande perda para o futebol nacional e principalmente para o Grêmio que brigava pelo título, até então.