terça-feira, 26 de outubro de 2010

70 anos do Rei

Vou começar esse post dizendo que estou decepcionado com os outros amadores. Estava viajando no fim de semana e acabei não podendo fazer esse post, achei que outra pessoa faria mas infelizmente o aniversário do Rei passou em branco aqui. Lamentável.

Atualmente vemos jovens torcedores colocando em dúvida a majestade de Pelé comparando-o com Ronaldinho Gaúcho, Cristiano Ronaldo, Maradona e até Neymar. É uma pena pois não é apenas uma admiração irracional que faz com que Edson Arantes do Nascimento seja o maior jogador de futebol de todos os tempos, os fatos, números e imagens não deixam dúvida.



Pelé fez 1283 gols sendo que marcou o seu milésimo gol em 1969 quando tinha apenas 29 anos, Romário conseguiu isso quando já estava pela casa dos 40. Quer dizer, qualquer gol que você ver do Rei na Copa de 1970 deve ser contado como mil e alguma coisa. Aos 21 anos Pelé já tinha 500 gols e com 23 era bicampeão mundial de clubes pelo Santos. Enquanto São Paulo e Flamengo hoje discutem quem foi o primeiro pentacampeão brasileiro, o Santos se orgulha de ter conquistado a Taça Brasil em 1961, 1962, 1963, 1964 e 1965, cinco vezes campeão em seguida. Não havia rival para o time do litoral de SP, nem o Botafogo com os geniais Nilton Santos, Garrincha e Didi. Hoje aliás, acho que o Santos sofre por qualquer jogador habilidoso que surja na Vila Belmiro ser apontado como o novo Pelé, vide Giovani, Robinho e Neymar. Mas Pelé só existe um.



Ele é o jogador mais novo a conquistar uma Copa do Mundo, marcando dois gols na final. Já nessa Copa, aos 17 anos, Nilton Santos dizia que a Seleção (na época em que era formada pelos melhores e não pelos mais promissores) era Pelé, Garrincha e o resto.


Vendo suas jogadas geniais, observe que elas visavam o gol, entrando na área, driblando vários zagueiros à sua volta e não apenas um ou outro drible acrobático no meio do campo ou na lateral que termina com um toque pro lado. Não à toa o termo "Gol de Placa" surgiu após um gol seu contra o Fluminense em que driblou o time tricolor quase todo antes de fazer o gol,




Hoje muita gente prefere desdenhar do Rei, misturando sua vida pessoal ao jogador que foi. Talvez isso resida no preconceito do brasileiro de admirar um negro do interior ou pela simples mania do brasileiro de menosprezar todos os seus poucos heróis. Enquanto o resto do mundo se ajoelha diante dele, nós agimos com menosprezo. É cômodo lembrar da filha que ele não reconheceu para justificar o desdém.

O jornalista Pedro Bial relatou em O Globo que em seus 8 anos como correspondente internacional, diante de armas e ameaças, nos lugares mais remotos do mundo, as palavras "Brasil, futebol, Pelé" o salvaram diversas vezes. Hoje Pelé fatura mais do que Kaká e Messi, mas é covardia comparar, afinal os dois conquistaram muito pouco perto do que o Rei conseguiu. Até quando não conseguiu ele foi genial, vide seus quatro gols perdidos na Copa de 70: uma bomba de primeira na reposição malfeita pelo goleiro uruguaio, o drible de corpo sem tocar na bola sobre o mesmo goleiro, o chute do meio de campo contra a Tchecoslováquia e a cabeçada fulminante contra a Inglaterra que resultou na maior defesa da história.

Pelé tanto fez que hoje seu nome é referência para "o melhor". Jimi Hendrix foi o Pelé da guitarra, Michael Jordan o Pelé do basquete. Talvez Federer seja o Pelé do tênis e Tiger Woods o Pelé do golf.








O vídeo abaixo é bom para mostrar um pouco de porque Pelé é o Pelé do futebol.


4 comentários:

Anna Flávia disse...

Parabéns pelo texto, Daniel! Ficou muito bom!

O Pelé foi um grande jogador, virou referência para 'o melhor' e isso ninguém vai tirar. O Santos (e a imprensa) tem que entender que nunca haverá um 'novo' Pelé. Ele é único.

E, sem querer me justificar, mas já fazendo... Estava de mudança e estou me adaptando a nova realidade ainda.

luluonthesky disse...

Daniel, parabéns. Arrasou com o post. Pelé é o rei do futebol. Lembrei da data no aniversário dele que foi no dia 23, mas não postei pq não sou fã do cara, mas reconheço a genialidade do Rei.
Big Beijos

Ivan Grycuk disse...

Cara, ótimo o post!! Bom texto, justificativas e etc - características dos teus textos, né?!

E o vídeo foi pra Twitter, orkut, Facebook e cia limitada como favorito... show de bola!!!

Um abraço!!

Murdock disse...

Pois é, Lulu, não sou daqueles fãs de saber tudo do cara mas quem gosta de futebol tem que admirá-lo e, no nosso blog, voltado a isso, não podia ter faltado uma homenagem a ele.