terça-feira, 26 de julho de 2011

Violência gratuita e covarde. Mais uma agressão no futebol.




O futebol - assim como os outros esportes - surgiu como uma forma de interação entre a sociedade, um meio de divertir e unir a população local. Está lá no dicionário: 1- Divertimento, recreio.

Mas infelizmente, o que era para ser apenas uma diversão tem se tornado cada vez mais motivo de brigas e confusão. Os atletas estão mais preocupados em mostrar seu lado agressivo e violento, ao invés de aparecerem positivamente mostrando sua qualidade técnica. Parece que riscaram a descrição número 1 do significado de esporte do dicionário, e aprenderam somente a segunda: 2. Qualquer exercício corporal ao ar livre (para recreio, ou demonstrar agilidade, destreza ou força).

O caso mais recente aconteceu nesta segunda-feira, no jogo entre Vasco x Sport em partida válida pela Taça BH de Juniores. Já nos acréscimos da partida, o Vasco vencia por 3x1. Romário, jogador do Vasco, estava caído no gramado. Um jogador do Sport se aproximou para apressar o vascaíno que estava caído e foi empurrado por outros atletas do Vasco.

Já não bastasse o empurra-empurra desnecessário, entra em ação o goleiro do Sport. Gustavo, um estressadinho inconsequente dos seus atos, saiu do seu lugar debaixo das traves e chegou correndo no local da confusão. Aliás, correndo não. Chegou dando uma voadora, que atingiu Elivélton, um atleta do Vasco que estava de costas e não viu a chegada do agressor.

Elivélton foi retirado do campo de ambulância e levado a um hospital, onde constataram uma contusão na coluna cervical. Exames iniciais mostraram que o jogador está bem. Positivamente, não aconteceu nada demais, mas este ato desmedido poderia ter causado danos muito mais graves. Um chute forte como este recebido na coluna cervical poderia ter resultado em contusão gravíssima.

Em atitude sensata, o Sport não pensou duas vezes e logo demitiu Gustavo, o goleiro. O presidente do time, Gustavo Dubeux, estava bastante chateado, lamentou a atitude de seu (ex) jogador e prestou solidariedade ao atleta do Vasco.


Que esta punição sirva de exemplo não só para Gustavo, mas para todos os outros atletas que querem aparecer da pior maneira possível. Passou da hora de termos novamente apenas as ações descritas no tópico 1 do dicionário.


3 comentários:

Anna Flávia disse...

A atitude do Sport foi certa, se todos os brigões fossem demitidos talvez as coisas mudassem.

Agora a atitude desse jogador foi vergonhosa.

Vanessa disse...

Esse goleiro deveria responder criminalmente! Às vezes a justiça desportiva atrapalha um pouco.
Vamos ver no que vai dar, torço pra que o Elivélton melhore logo!

Pris disse...

Acho inadimissivel essas demonstrações de violência...
Deveria ser banido e nunca mais poder jogar profissionalmente.
Jogador que começa assim nos juniores, termina como marginal no profissional...
Enfim, lamentável!